Ásia

Como é morar no sudeste asiático?

Postado dia 25 de julho de 2017

Depois que me mudei pra Singapura alguns amigos começaram a perguntar como é morar na Ásia, mais especificamente no sudeste asiático. E cá estou eu para falar pra vocês um pouquinho dessa nova vida

Durante os últimos dois anos a minha vida foi como uma partida de ping-pong. Em 2015 passei seis meses morando em Singapura, depois desse período voltei para o Brasil em novembro de 2016 vim de vez, de mala e cuia para a Ásia.

A princípio não foi um choque vir para cá, pois Singapura é um país oriental que tem muito do ocidente, além de ter muitos brasileiros, que ajudam uns aos outros pelos grupos de facebook (isso é ótimo). Aqui tem muitas lojas, restaurantes com culinária do mundo todo, a língua mais usada é o inglês, é seguro, então fica mais fácil de sobreviver. No entanto, tem pequenos detalhes que me lembram de que estou nessa parte do mundo, como por exemplo:

Pessoas

É claro que ver asiáticos por toda parte me faz lembrar de que não estou no Brasil, ainda mais quando eles falam Singlish (uma mistura de inglês e algumas palavras em chinês ou dialetos). Em Singapura as pessoas são legais e prestativas, não tão simpáticas a princípio, mas depois melhora.

Os singapureanos tendem a ser bem discretos no trabalho, se você tira um dia de férias e fala para os colegas que não vai no dia seguinte ninguém te pergunta o porquê, isso já aconteceu comigo.

As pessoas não são tão festivas quanto os brasileiros. Geralmente, não comemoram festa de aniversário e se comemoram é com um jantar em um restaurante com a família ou amigos mais próximos, claro que não é 100% da população assim.

Os casamentos aqui são jantares, às vezes te colocam na mesa com pessoas que você não conhece e, as pessoas não dançam. O presente que os noivos ganham é dinheiro (gostei$).

Em todo lugar tem esse pote com molho de pimenta e gengibre

Em todo lugar tem esse pote com molho de pimenta e gengibre

Comida

Olha, esse foi o meu maior problema quando cheguei aqui, pois a comida é super apimentada e eu não sou fã de nada com muita pimenta. Eles comem muito arroz, têm vários tipos de noodles que são feitos de arroz também. A carnes mais comuns são frango, porco, pato, cordeiro e algumas outras, mas carne de boi é muito cara aqui, então geralmente você tem que desembolsar um pouco mais de grana para comer um bifezinho.

A população geralmente almoça nos hawker centres, que nada mais é do que uma praça de alimentação ao ar livre onde você encontra comidas locais a preços muito baratos (~S$3-S$6). Eu não comia praticamente nada de comida local logo que cheguei, mas perto de onde eu trabalho as opções são bem limitadas e fui praticamente obrigada a começar a comer comida local. A mais fácil de todas as comidas é chicken rice (arroz com galinha), depois dessa você começa a provar as sopas, as comidas indianas (amo prata) e por aí vai, mas até hoje não como pimenta.Roti Prata

Clima

Nem vou me deter tanto nesse tópico, mas quero dizer que sou bem adaptada ao clima quente e úmido, afinal sou uma Belenense. Têm vezes que Singapura tá impossível de quente, mas aí eu me lembro do frio que passei no julho de 2016 em São Paulo e paro de reclamar.

Custo de vida

Alto, altíssimo. Singapura é um país bem caro, seja para quem visita ou para quem mora aqui, mas é claro que tudo depende do seu estilo de vida e também se é solteiro ou tem família.

Quem gosta de sair pra festa, beber e conhecer restaurantes tem que saber que vai gastar bem mais do que o usual.

Quem almoça em Hawker centre todo dia consegue economizar bastante, pois a comida é barata, mas se sua intenção é almoçar em restaurante aí ferrou.

Hotel em Singapura é bem caro, ainda bem que existem hostels e albergues da vida, para ajudar os mochileiros de plantão. O mesmo segue para comprar apartamento ou carro por aqui. Ambos são bem onerosos e as taxas que você paga de seguro, licença e outras taxas também são altíssimas. Em contrapartida o transporte público é excelente, cobre todo o país e não é caro, pois eles cobram pelo percurso feito e não por uma taxa fixa, como é no Brasil.

Bebida alcóolica é super cara, mas água é de graça hahaha, então como vocês estão vendo tudo depende das suas escolhas aqui.

Singapura tem muitos eventos pagos (musicais, peças, circo, exposição) e vários gratuitos, o país têm muitos parques e muitas formas de ser aproveitado sem gastar muito e é disso que eu gosto aqui, que o governo pensa em todas as classes sociais.

Singapore Botanic Garden

Picnic no parque

Religião

Esse é outro ponto que me surpreendeu muito desde de quando eu vim pela primeira vez. O país não tem uma religião específica, por sua vez tem a maior diversidade religiosa no mundo, de acordo com o Pew Research Center.

Aqui em uma rua você encontra uma igreja, um templo budista e uma mesquita, se andar um pouco mais tem um templo hindu. E o que me fascina é que todos se respeitam e convivem em harmonia.

templo budista

Templo budista

Então tem feriado no Natal (cristão), no Hari Raya (muçulmano), Vesak Day (Budista) e alguns outros. E o mais legal é quando tem festivais relacionados as religiões, como é o caso do Thaipusam (hindu), uma procissão única onde as pessoas pedem bênçãos, agradecem e entregam oferendas.

Templo hindu

Templo hindu

Aqui você tem a oportunidade de ver um pouco de tudo, relacionado a esse tópico.

Localização

Amo morar em Singapura porque aqui um ponto estratégico para quem gosta de viajar, leia-se EU. Você está a duas horas de Bali, 4 h das Filipinas, 2:30h da Tailândia, 6h da Austrália e 7h de Tóquio, isso não é maravilhoso?

Esse é um dos pontos mais positivos e não abro mão dessa ‘facilidade’, por isso estou aproveitando bastante o sudeste asiático. Quem ainda não viu minhas últimas postagens sobre as viagens, pode ir para a página inicial do blog e checar tudinho.

E só para finalizar eu quero dizer que estou bem feliz aqui, aos poucos me adaptei e apesar de ainda não comer muitas das comidas locais eu estou bem.

Até mais,

Thália Gama.




Thália Gama
Botânica, amante de viagens, aventuras, brigadeiro, e tudo o que há de bom nessa vida. Casou com um singaporeano e decidiu viver do outro lado do mundo.

POSTS RELACIONADOS

Você também pode se interessar pelas postagens abaixo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentarios

Comentarios